quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

“Este Ano Foi Um Ano Particularmente Saboroso Para Portugal”

Só mesmo uma pessoa seria capaz de tal afirmação:
Foto: Manuel Araújo / Lusa, via OBSR

Eis-me


Eis-me 
Tendo-me despido de todos os meus mantos 
Tendo-me separado de adivinhos mágicos e deuses 
Para ficar sozinha ante o silêncio 
Ante o silêncio e o esplendor da tua face 

Mas tu és de todos os ausentes o ausente 
Nem o teu ombro me apoia nem a tua mão me toca 
O meu coração desce as escadas do tempo 
                        [em que não moras 
E o teu encontro 
São planícies e planícies de silêncio 

Escura é a noite 
Escura e transparente 
Mas o teu rosto está para além do tempo opaco 
E eu não habito os jardins do teu silêncio 
Porque tu és de todos os ausentes o ausente 

Sophia de Mello Breyner Andresen

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Notícias Soltas

*Carlos César em ‘guerra’ com Catarina Martins: “Não aceitamos superioridade moral de nenhum partido”

*Não sabiam, mas tinham o nome nos órgãos sociais da Raríssimas

*Centenas de milhares de cidadãos da UE podem perder direito a ficar no Reino Unido

*Juncker envolvido em caso de escutas ilegais e adulteração de conversas

*Ao anoitecer olhe para cima. Hoje há chuva de estrelas

*Elétrico 24 deverá ligar Cais do Sodré e Campolide no próximo ano


Esta É A Frase

A história da Raríssimas não pode acabar-se nos maus exemplos, nos comportamentos indizíveis, nos crimes que foram cometidos. Quer isto dizer que a justiça tem de seguir o seu curso - as investigações têm de ser céleres e sérias, os responsáveis, quero acreditar, serão responsabilizados e com tanto mais rigor quanto era à custa dos mais fracos que tiravam dividendos. Mas as crianças e as famílias a quem a Raríssimas dava algum conforto e esperança têm de ser preservadas ao máximo. Não podemos cair na tentação de as deixar escorregar na lama, de arrasar uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) que é, ela própria, muitíssimo rara no serviço que presta à sociedade.

Joana Petiz, DN

Não, não é Cansaço ...


Não, não é cansaço... 
É uma quantidade de desilusão 
Que se me entranha na espécie de pensar, 
E um domingo às avessas 
Do sentimento, 
Um feriado passado no abismo... 

Não, cansaço não é... 
É eu estar existindo 
E também o mundo, 
Com tudo aquilo que contém, 
Como tudo aquilo que nele se desdobra 
E afinal é a mesma coisa variada em cópias iguais.

Não. Cansaço por quê? 
É uma sensação abstrata 
Da vida concreta — 
Qualquer coisa como um grito 
Por dar, 
Qualquer coisa como uma angústia 
Por sofrer, 
Ou por sofrer completamente, 
Ou por sofrer como... 
Sim, ou por sofrer como... 
Isso mesmo, como... 

Como quê?... 
Se soubesse, não haveria em mim este falso cansaço. 

(Ai, cegos que cantam na rua, 
Que formidável realejo 
Que é a guitarra de um, e a viola do outro, e a voz dela!) 

Porque oiço, vejo. 
Confesso: é cansaço!... 

Álvaro de Campos 

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Notícias Soltas

*Líder da "Verdade Celestial" condenado a 23 anos de prisão

*Últimas do caso raríssimas

*Itália em estado de emergência após explosão em terminal de gás austríaco

*Santana e Rio sem acordo para debates

*Dois arguidos confirmados na investigação aos incêndios de Pedrógão Grande

*Os deputados que faltam mais vezes (com ou sem justificação) no Parlamento

Últimas Do Caso Raríssimas

*Paula Brito e Costa demite-se da presidência da Raríssimas


Se Marcelo Continuar A Gastar Palavras Com Tanta Intensidade, Tanto Fait Divers Como Para Factos Importantes, Estará A Desperdiçar O Poder Que Os Portugueses Lhe Deram ...

Não há nada que o Presidente não comente - do mais relevante ao maior fait divers. Há umas semanas, neste mesmo espaço, elogiei-o pela intervenção que fez em Oliveira do Hospital sobre os fogos de outubro: criou empatia com o país (e as vítimas em particular), tudo o que tinha faltado à intervenção do primeiro-ministro. Mas depois disso Marcelo passou de hiperativo a hipermega ativo, parecendo gerir toda a sua agenda numa lógica de cobertura a par e passo da agenda de António Costa (por antecipação ou reação). Marcelo, que é constitucionalista, sabe qual é o maior poder do Presidente da República em Portugal:é o poder de falar. Se continuar a gastar palavras com tanta intensidade, tanto para fait divers como para factos importantes, estará pura e simplesmente a desperdiçar o poder que os portugueses lhe deram. Não foi para isso que foi eleito nem é para isso que é pago. (continuar a ler aqui)  

Hábito ...

( Indiferença !)
A tudo se habitua o homem, a todo o estado se afaz ; e não há vida por mais estranha que o tempo e a repetição dos actos lhe não faça natural.

Almeida Garrett 

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Notícias Soltas (act.)

*Dinheiro da Raríssimas paga vestidos caros, BMW e viagens










Esta É A Frase

“Paula Brito e Costa, sabe o que é raríssimo? Alguém da sua estatura social não suspender a sua atividade face a tão graves acusações, até provar cabalmente a sua inocência. Sabe o que é Raríssimo? É dar aos nossos herdeiros exemplos de cidadania quando em causa está a nossa honra. Até eu me ponho de pé, junto a si, se dignificar a obra com tamanha coragem. Espero que esteja inocente para o seu bem, e para o bem de todas as instituições que hoje vivem mais um clima de suspeição”

Jorge Gabriel, via Ji

A Pergunta Vai Para A Sra. Catarina

Catarina Martins deu uma entrevista ao ‘Expresso’ onde acusou o PS de ceder aos ‘grandes interesses económicos’. Francisco Assis não gostou: onde está a ‘honradez’ do partido perante o ataque? O caso merece uma pergunta e uma resposta. A pergunta vai para a Sra. Catarina: se o PS é ‘permeável’ a grandes lóbis, como explicar o apoio do Bloco? Que eu saiba, um cúmplice do crime continua a ser um criminoso. Ou a Sra. Catarina pensa que os seus talentos cénicos apagam a natureza da peça onde aceitou entrar? De resto, e em resposta a Assis, ele sabe que a ‘honradez’ foi perdida em 2015, quando Costa desfigurou a história do PS com uma aliança oportunista. O actor Oscar Levant terá dito sobre Doris Day: "Conheci-a ainda antes de ela se tornar virgem". A dois anos das eleições, aplica-se ao governo e aos camaradas o mesmo raciocínio. Não abusem da virgindade.

João Pereira Coutinho, CM  

Cai Chuva No Portal


Cai a chuva no portal, está caindo 
Entre nós e o mundo, essa cortina 
Não a corras, não a rasgues, está caindo 
Fina chuva no portal da nossa vida. 
Gotas caem separando-nos do mundo 
Para vivermos em paz a nossa vida. 

Cai a chuva no portal, está caindo 
Entre nós e o mundo, essa toalha 
Ela nos cobre, não a rasgues, está caindo 
Chuva fina no portal da nossa casa. 
Por um dia todos longe e nós dormindo 
Lado a lado, como páginas dum livro. 

Lídia Jorge

domingo, 10 de dezembro de 2017

Notícias Soltas

*Portugal eleito o “Melhor Destino do Mundo” nos World Travel Awards

Esta É A Frase

A comparação já foi feita: o debate político parece-se cada vez mais com o futebol e respectivas claques. O que interessa é a cor e a camisola. O que conta é saber quem apoia e quem critica. Ou quem é apoiado e quem é condenado. O caso, o objectivo, a decisão, o programa, o valor e a ideia são de menor apreço e quase indiferentes. Importa, isso sim, é saber se é a favor ou contra o grupo, o chefe e o partido. Importa berrar e bramar, ameaçar e apoiar, vibrar de prazer ou rosnar de ódio, bajular ou agredir. Se os meus são criminosos, desculpam-se, porque a culpa é dos outros, batoteiros por definição.

António Barreto, DN  

As Realidades Da Alma

É certo que o homem fala a si mesmo; não há um único ser racional que o não tenha experimentado. Pode-se até dizer que o mistério do Verbo nunca é mais magnífico do que quando, no interior do homem, vai do pensamento à consciência, e volta da consciência ao pensamento. (...) Diz, fala, exclama cada um consigo mesmo, sem que seja quebrado o silêncio exterior. Há um grande tumulto; tudo fala em nós, excepto a boca. As realidades da alma, por não serem visíveis e palpáveis, nem por isso deixam de ser também realidades. 

Victor Hugo 

sábado, 9 de dezembro de 2017

Notícias Soltas

*Salvador Sobral “está bem, muito animado”, após transplante de coração


A Pesada Conta

Todos os invernos há portugueses que morrem a poupar na conta da luz

As famílias e empresas pagam uma fatura elétrica demasiado pesada. E uma das razões é a carga fiscal. Portugal tem o terceiro maior peso do Fisco sobre a eletricidade da União Europeia. Em cada 100 euros na conta da luz, 52 euros são para a carga tributária absurda, que até cobra impostos sobre impostos. Por exemplo, na taxa que financia a RTP, o consumidor é ainda obrigado a pagar IVA. 

Nada de novo num Estado que tributa ao nível do confisco tudo o que mexe. E a tarifa social não passa de uma gota de água no deserto. 

O valor da conta da luz ou do gás tem consequência na vida das pessoas, particularmente dos mais pobres e das famílias da classe média a quem o rendimento é curto para chegar ao fim do mês, se exagerar no consumo de energia. Por isso, todos os invernos há portugueses que morrem por não poderem pagar um sistema decente de aquecimento. Basta ver as notícias sobre as vitimas de intoxicação de monóxido de carbono das braseiras. 

Neste país de clima temperado, há gente que morre de frio para poupar na conta da luz.

Armando Esteves Pereira, CM

Nunca Desista.

Por mais longa que tenha sido a busca ou a caminhada, nunca desista de continuar seguindo. Sempre há algo de novo espreitando nas esquinas da vida. Fique atento! 

Santo Agostinho

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Notícias Soltas (act.)

*BE avisou que “este é o momento político” para falar da renegociação da dívida

Exame Digital Do Olho Fornece Imagem Da Condição Médica Da Pessoa Facilitando Diagnósticos Precoces

Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay
O olho não parece ser só uma janela para a alma - é também uma janela para o corpo, e das grandes.
Um exame do olho - usando imagens digitais e programas de inteligência artificial - fornece uma imagem bastante ampla da condição médica geral de uma pessoa, facilitando diagnósticos precoces e o início mais cedo dos tratamentos.
Foi o que demonstrou o primeiro teste de uma nova técnica criada pela equipe da Dra. Ursula Schmidt Erfurth, da Universidade Médica de Viena (Áustria).

Nesta avaliação inicial, o exame da retina mostrou qual a idade de uma pessoa, seu género, hábitos de tabagismo, pressão arterial e se ela tinha ou não diabetes, ou mesmo um risco aumentado de desenvolvê-la no futuro.
"Uma imagem digital da retina nos fornece uma enorme quantidade de dados, oferecendo informações sobre a vida pessoal e médica de uma pessoa. Não só sobre doenças existentes ou potenciais, mas também sobre o estilo de vida," disse a Dra. Ursula.

Tomografia, vóxeis e inteligência artificial

Usando a tecnologia de tomografia de coerência óptica (TCO), 40.000 varreduras da retina podem ser capturadas em apenas 1,2 segundo, produzindo 65 milhões de vóxeis. 

O primeiro resultado prático demonstrado pela tecnologia foi no diagnóstico do diabetes - os resultados do programa coincidiram com alta precisão com o diagnóstico pelos métodos tradicionais.
"Incorporando essas novas tecnologias nos cuidados clínicos poderemos obter uma imagem muito mais precisa da saúde geral dos nossos pacientes, para que possamos oferecer não apenas informações e aconselhamento individuais, mas também tratamentos personalizados. A abordagem representa um passo importante para um melhor atendimento abrangente de um número cada vez maior de diabéticos," disse a Dra. Ursula.

A tecnologia ainda precisará ser validada em grupos maiores de pacientes antes de ser utilizada em larga escala. Mas o teste inicial já serviu para demonstrar que, em termos de diagnóstico por imagem, o olho é uma parte única do corpo humano também quanto à riqueza de informações que guarda.

O Controlo Na Ordem Do Dia

Controlar os outros não é apenas uma forma que alguns encontram para agradar chefias; permite ainda que se criem funções em que se possam ocupar.
Um grupo de juristas vai propor ao parlamento, até ao final deste ano, que se aprove uma contraordenação a quem desperdice água. O que é desperdício? Uma vez mais, ninguém diz; também ninguém pergunta. Ouve-se. E escreve-se. Depois de imensos estudos sairá uma conclusão arbitrária, por ser impossível definir o consumo de água necessário para cada uma das 11 milhões de pessoas, e os portugueses passarão a ter um polícia em cada torneira. Mas o perigo não se fica apenas pela torneira. É mais a porta que se abre a mais prepotência que nos deve fazer pensar.
André Abrantes Amaral, Ji

Ingenuidade ...



Ingénuo, tem conta em ti !
No mundo há muitos enganos,
Eu o sei, porque o sofri :
Os bons padecem mil danos
Julgando os outros por si.

Bocage

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Notícias Soltas

*Ajuda externa: FMI alinha previsões com Governo mas pede mais reformas e redução da dívida







De Um Coisa Ninguém Se Pode Queixar: António Costa Diz Ao Que Vem ...

...  E vem para se manter no poder. Essa é a sua agenda, cristalina e transparente. Esse tem sido o principal traço da sua governação, desde o primeiro momento em que engendrou uma vitória com a soma dos vários derrotados. Esse é o seu jeito particular: a cada circunstância, vai para o lado que lhe dá mais jeito – o que não é, necessariamente, o lado que dá mais jeito ao País. 

Veja-se o que se passou com a nova taxa que o BE queria para o sector das energias renováveis. A palavra dada pelo governo numa sexta-feira (que sim, que haveria uma nova taxa) passou a ser diferente da palavra dada na segunda-feira seguinte (que afinal não haveria taxa alguma). 

O que podia parecer uma traição ou ligeireza do governo é, sob este ponto de vista, uma demonstração de firmeza e de fidelidade do primeiro-ministro: António Costa é fiel ao seu objectivo e agarra-se ao poder com toda a força que tem. Só isso explica a sucessão de trocas e baldrocas, piruetas e flic-flacs à retaguarda, como se nada fosse. As suas críticas virulentas às empresas de energia, há poucos meses, serviram para passar a mão pelo pêlo dos seus parceiros, quando isso foi importante. (continuar a ler)

Esta É A Frase

Deve haver poucas coisas mais deprimentes do que a actual corrida à liderança do PSD. Pela ausência de ideias novas, pela vetustez dos protagonistas, pelo desinteresse do país, pela percepção de que ali não há alternativa credível ao actual estado das coisas.

José Manuel Fernandes, 'O PSD está uma coisa muito deprimente',OBSR

Até Amanhã


Sei agora como nasceu a alegria, 
como nasce o vento entre barcos de papel, 
como nasce a água ou o amor 
quando a juventude não é uma lágrima. 

É primeiro só um rumor de espuma 
à roda do corpo que desperta, 
sílaba espessa, beijo acumulado, 
amanhecer de pássaros no sangue. 

É subitamente um grito, 
um grito apertado nos dentes, 
galope de cavalos num horizonte 
onde o mar é diurno e sem palavras. 

Falei de tudo quanto amei. 
De coisas que te dou 
para que tu as ames comigo: 
a juventude, o vento e as areias. 

Eugénio de Andrade

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Notícias Soltas

*Catarina Martins: "Uma República das bananas é que faz contratos à medida dos interesses económicos"


*Hugo Soares acusa Costa de fazer "um flick flack à retaguarda"




*Banco de Portugal pondera dificultar acesso a crédito para compra de casa


*8 restaurantes portugueses entre os melhores do mundo


*Londres evita plano suicida para matar Theresa May em Downing Street


*Jerusalém: Manifestantes em Gaza queimam fotos de Trump e bandeiras dos EUA

Assim Acontece ...

Mário Centeno será um “rato que não ruge“, enquanto presidente do Eurogrupo, acredita o jornal alemão Handelsblatt, que acrescenta que bem mais importante do que a eleição de Centeno, para o futuro do euro, é saber quem será o próximo ministro das Finanças da Alemanha. “Dijsselbloem nunca teve qualquer voz decisiva no Eurogrupo, nem Centeno irá ter. Nos últimos anos, sempre foi o ex-ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, a definir aquilo que os ministros do Eurogrupo decidiam”.


Steingart lembra que um académico que não conseguiu a nomeação para liderar o centro de estudos do Banco de Portugal “por não ter as qualificações necessárias” — um caso que ainda hoje será uma pedra no sapato na relação entre Mário Centeno e Carlos Costa, o governador do Banco de Portugal — vai, agora, liderar a coordenação de políticas económicas e resgates públicos multi-milionários.
A verdade, contudo, escreve o Handelsblatt, é que Centeno irá liderar muito pouco. O holandês Jeroen Dijsselbloem, que liderou o Eurogrupo nos últimos anos, era ministro de um governo trabalhista, de centro-esquerda, mas isso não o impediu de assumir como suas as opiniões de Schäuble em temas quentes como o resgate à Grécia. Mas voltou a ser nomeado um ministro de um país pequeno, como é regra e porque “permite que não seja tão óbvio que são, na realidade, os países maiores a mandar nas políticas”.
Fonte: OBSR

O Essencial ...

O essencial é invisível aos olhos, e só se pode ver com o coração.

O Pequeno Príncipe

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Notícias Soltas

*Fotos. Há dois portugueses favoritos no maior concurso de fotografia da Sony








Incongruências Ou 'Os Ditos Por Não Ditos'

António Costa foi muito crítico da Europa "neoliberal", e do "vírus" da crença nos mercados. Mário Centeno agora lidera o grupo que zela pela ortodoxia, cuja política central ele disse ser "míope". 

(leiam aqui e recordem os ditos por não ditos) 

Mistério


Fantasmas sem lugar, que a minha mente 
Figura no visível, sombras minhas 
Do diálogo comigo. 


Não, não vos disse ... A essência inatingível 
Da profusão das coisas, a substância, 
Furta-se até a si mesma.  Se entendesses 
Neste ou naquele modo o que vos disse, 
Não o entendesses, que lhe falta o modo 
Por que se entenda. 

Fernando Pessoa