sexta-feira, 23 de junho de 2017

Notícias Soltas

A Afinidade Não É O Mais Brilhante, Mas O Mais Sutil , ...

A afinidade não é o mais brilhante, mas o mais sutil,
delicado e penetrante dos sentimentos.
O mais independente (...)

É uma vitória do adivinhado sobre o real.
Do subjetivo sobre o objetivo.
Do permanente sobre o passageiro.
Do básico sobre o superficial.
Ter afinidade é muito raro.

Afinidade é ficar longe pensando parecido a respeito dos mesmos
fatos que impressionam, comovem ou mobilizam.
É ficar conversando sem trocar palavra.
É receber o que vem do outro com aceitação anterior ao entendimento.

Sentir com é não ter necessidade de explicar o que está sentindo.
É olhar e perceber.
É mais calar do que falar.
Ou quando é falar, jamais explicar, apenas afirmar.

(...)

 Arthur da Távola   

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Luís Miguel C. Pizarro Beleza (1950-2017)

Miguel Beleza, economista e ex-ministro das Finanças, morreu ao início da noite desta quinta-feira, em casa, avança o Correio da Manhã. Beleza tinha 67 anos.
Miguel Beleza, economista e ex-ministro das Finanças, morreu ao início da noite desta quinta-feira, em casa, vítima de uma paragem cardiorrespiratória. Beleza tinha 67 anos. De acordo com o Correio da Manhã, que começou por avançar a notícia, o ex-governante ainda terá sido assistido em casa pelo INEM, acabando porém por morrer. A notícia foi confirmada à Agência Lusa por fonte próxima da família.
Irmão de Leonor Beleza, ex-ministra da Saúde e presidente da Fundação Champalimaud, Beleza ocupou altos cargos durante o período do cavaquismo, tendo sido ministro das Finanças entre 1990 e 1991 e governador do Banco de Portugal entre 1992 e 94.

Notícias Soltas

El Mundo: 'Desastrosa Gestão Da Tragédia Pode Por Fim À carreira Política Do Primeiro-ministro António Costa'

Um artigo de hoje do jornal espanhol El Mundo fala em "caos" no maior incêndio da história de Portugal, com 64 mortos, um avião fantasma e 27 aldeias evacuadas.

O jornal diz que a "desastrosa gestão da tragédia pode pôr fim à carreira política do primeiro-ministro, António Costa".

"Caos no maior incêndio da história de Portugal: 64 mortos, um avião-fantasma e 27 aldeias evacuadas." É desta forma que o jornal ‘El Mundo’ sintetiza a situação dos fogos que têm devastado o Centro do País desde sábado. Entre críticas à "gestão desastrosa da tragédia", o diário espanhol destaca que esta situação "pode pôr fim à carreira política de António Costa".

"A evidente falta de coordenação entre as autoridades, tanto a nível dos trabalhos de extinção, como da comunicação com os media, provocou uma enxurrada de críticas à gestão do desastre por parte do Governo do primeiro-ministro António Costa, e em particular da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, a menos de quatro meses das eleições legislativas [queriam, certamente, escrever autárquicas] em Portugal", refere o ‘El Mundo’.

A reportagem ataca também o episódio dos bombeiros da Galiza impedidos de ajudar pela ministra da Administração Interna: "De forma inexplicável, ao mesmo tempo que o incêndio se expandia e os bombeiros lusos reconheciam estar a ser derrotados pelas condições do terreno, Urbano de Sousa vetava a entrada de uma coluna de 60 bombeiros galegos no território português".(Fonte: CM)

O Estado Fracassou Em Portugal Nas Suas Funções Mais Básicas. Agora Não Podemos Passar Da Tragédia À Farsa

Pedir desculpa em Portugal é só para os culpados, e portanto é visto como admitir culpa. Por isso, os nossos sábios políticos nunca pedem desculpa. Mas pedir desculpa, como Theresa May fez, não é reconhecer culpas: é reconhecer responsabilidades. 

O fogo não foi posto pelo presidente da república nem pelo primeiro-ministro. Mas foi sob a presidência de um e o governo de outro que a tragédia aconteceu. Quem estava à frente do Estado, tem responsabilidade, mesmo quando não tem culpa. Pedir desculpa às vítimas, às suas famílias e às suas comunidades em nome do Estado seria assumir essa responsabilidade, seria dizer: estamos aqui para vos proteger, não conseguimos, vamos perceber porquê, mas desde já pedimos-vos desculpa.

O Estado fracassou em Portugal nas suas funções mais básicas. Agora, não podemos passar da tragédia à farsa. Todos sabemos que os inquéritos, como todos os inquéritos, não vão apurar nada. Todos sabemos que novas leis feitas à pressa, como todas as leis apressadas, não vão mudar nada. O reconhecimento da responsabilidade constituiria talvez, dados os precedentes, a única mudança possível: pela primeira vez na sua história, o Estado em Portugal reconheceria não ter estado à altura da confiança que os cidadãos tinham depositado nele. Para isso, claro, seria preciso coragem. 

Haverá essa coragem? Sr. Presidente? Sr. Primeiro-Ministro? Vão ter coragem de pedir desculpa, em nome do Estado, pelas vidas perdidas, pelas famílias destruídas, pelas comunidades atormentadas enquanto os senhores ocupavam os primeiros lugares do Estado? 

Fonte: Rui Ramos,'Sr. Presidente, Sr. Primeiro-Ministro, peçam desculpa !'

Sentimento ...

Não digas de nenhum sentimento que é pequeno ou indigno. Não vivemos de outra coisa que dos nossos pobres, formosos e magníficos sentimentos, e contra cada um que cometermos uma injustiça é uma estrela que apagamos.

Hermann Hesse  

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Solstício De Verão 2017

O solstício de 21 de Junho marca o primeiro dia de verão no hemisfério norte (e de inverno no hemisfério sul), com o maior número de horas de luz solar do ano.
Em termos científicos, o solstício de verão consiste no momento em que o hemisfério norte da Terra está mais directamente virado para o Sol, com os pólo norte inclinado em direcção à estrela a cerca de 23,5 graus.
A palavra "solstício" advém de duas palavras latinas "sol" e "sistere" que significam "Sol parado", uma vez que nos dias em antes e depois do solstício de verão, o Sol parece manter-se à mesma altura no meio-dia e pôr-se e nascer no mesmo ponto em relação ao horizonte.

Leia algumas curiosidades sobre o Solstício de Verão

A Bandalheira ...

... Que Assusta!

* Uma gravação áudio de uma suposta aluna, que circulou na rede WhatsApp alguns dias antes do exame de Português que se realizou na segunda-feira, levou o Instituto de Avaliação Educativa (Iave) a abrir uma investigação. Nessa gravação é descrito parte do conteúdo que sairia na prova nacional.
(continuar a ler aqui).  

*Ao contrário do que foi anteriormente afirmado pelas 'autoridades competentes', o presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares, acredita que o incêndio que deflagrou no sábado em Pedrógão Grande teve "mão criminosa". Marta Soares recorda, numa entrevista, que o fogo já estaria activo duas horas antes da altura em que ocorreu a trovoada seca e garante que a Liga vai exigir saber o que aconteceu neste caso.

Esta É A Frase

As imagens de Pedrógão Grande são imagens de guerra. A natureza responde violentamente ao abandono a que foi votada. Não temos floresta, mas campos de batalha. Os interesses mesquinhos paralisam a capacidade de decisão. As leis ficam por aplicar. Os incêndios são uma vergonha. Sinal de um país incapaz de habitar pacífica e ordeiramente o seu território. As florestas que ardem representam o que já sabemos, nos planos social, económico e ambiental. Mas só quando formos capazes de o assumir como um problema de segurança e defesa nacional, mobilizando os meios excecionais para impor o interesse público, é que poderemos ter alguma esperança de sair desta maldição de que somos inteiramente responsáveis.

Viriato Soromenho Marques, DN 

Antes De ...

Antes de falar, ouça.
Antes de agir, pense.
Antes de criticar, conheça.
E antes de desistir, tente.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Jornal Galego Diz Que Portugal Recusou Ajuda (act.)

Reprodução YouTube El Correo Gallego
Um contigente espanhol de 60 bombeiros com dois camiões cisternas estava pronto para ajudar mas terá sido travado na fronteira
Foi uma sensação agridoce. Estavamos conscientes da situação que se estava a passar em Portugal, estavamos preparados para intervir e ajudar e por uma questão burocrática impediram-nos de ir lutar contra um problema grave que acabou com tantas vidas", lamentou ao El Correo Gallego um dos 60 bombeiros espanhóis que, segundo o jornal, foram travados em Valença do Minho por falta de autorização do governo português.
De acordo com a notícia no site da publicação, o argumento das autoridades portuguesas foi a falta de capacidade para organizar tanta gente. "Estamos sobrecarregados e não podemos permitir que passe mais ajuda", terá sido a resposta.
A comitiva espanhola foi reunida "em menos de dez horas" durante a noite de domingo para segunda e incluia dois camiões-cisterna com capacidade para 30 mil litros de água cada um.
"Foram minutos de tensão" na fronteira, escreve o jornal galego, que cita outro bombeiro: "Se não nos queriam na primeira linha, podíamos ajudar muito nos trabalhos do pós-incêndio".

Fonte: Visão

A desculpa esfarrapada da ministra Constança Urbano de Sousa: Por vezes há pessoas com excesso de voluntarismo que podem querer empenhar-se sem ter qualquer tipo de enquadramento.” É assim que a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, responde à notícia avançada pelo El Correo Galego

Fogo Alastra A Góis

Autarca fala numa "situação grave que pode passar a ser gravíssima".
As elevadas temperaturas e vento forte estão a provocar o alastramento do incêndio que lavra no concelho de Góis e que já obrigou à evacuação de três aldeias, originando ainda a retirada de 56 idosos de um lar.a
Actualização:em declarações à agência Lusa, a presidente da Câmara de Góis, precisou que as aldeias já evacuadas são as de Cadafaz, Sandinha, Candosa, Capelo, Corterredor, Cabreira, Aldeia Velha, Candosa, Carvalhal do Sapo, Tarrastal e de Folgosa.
Fogo volta a alastrar em Pedrógão Grande e meios aéreos estão a regressar. Número de feridos passa a 160.

Fonte: DN

A Nossa Vida Sem Ideais Nenhuns, Toda Quotidiana ...

A nossa vida sem ideais nenhuns, toda quotidiana, quer no presente quer pelo pensamento do futuro. Perdendo a religião, nada reavemos para a substituir; nem arte, porque a arte é, como religião, para muito poucos; nem ciência, que é para menos ainda, nem filosofia, que é para quase nenhuns.
Não me refiro à conducta mas a ideais. Uma sociedade nunca pode ser grande nem pura sem ideais, porque na moral que nasce (...), na moral para uso quotidiano e de quotidiana origem, caberá uma certa decência, uma honestidade (...), razoáveis instintos humanitários, mas não uma nobreza de qualquer espécie, não uma grandeza de carácter. E o ponto importante é este. O ideal é a vida; vamos perdendo o ideal, e a nossa vitalidade vai diminuindo tristemente (…)

Fernando Pessoa

sd
Pessoa por Conhecer 

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Notícias Soltas

Responsabilidade? Só Para As Boas Notícias ?

Não se pode andar a dar lições sobre o aquecimento global, e depois não conseguir sequer dar uma impressão de previsão e de controle perante um fenómeno que se repete todos os anos, nas mesmas condições, como são os fogos florestais. É nestes casos que o vazio de liderança política em Portugal, disfarçado pelo preenchimento regular dos cargos, se torna óbvio. É também nestes casos que fica à mostra a fragilidade extrema do país artificial do optimismo e das boas notícias.

O fogo de Pedrógão-Grande pode ter tido as origens mais extraordinárias, mas ocorreu numa região, numa época do ano e num contexto meteorológico em que os incêndios florestais não são extraordinários. É difícil, por isso, não admitir a hipótese de ter havido uma falha da protecção civil. Não se previu o risco de incêndio florestal, não se pôs a população em alerta para a possibilidade do fogo, não se prepararam meios para uma eventualidade, e quando o incêndio rebentou, não se tomaram todas as providências, como, por exemplo, controlar a circulação automóvel. Ao contrário do que disse o Presidente da República, não parece ter-se feito tudo o que se pôde.

Rui Ramos, OBSR  

Verdade ...

A porta da verdade estava aberta, 
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.

E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os dois meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram a um lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos. 
Era dividida em duas metades,
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
As duas eram totalmente belas.
Mas carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.


Carlos Drummond de Andrade 

domingo, 18 de junho de 2017

Várias Casas Do Concelho De Alvaiázere Encontram-se Ameaçadas Pelo Incêndio


Várias casas da freguesia de Maçãs de Dona Maria, concelho de Alvaiázere, distrito de Leiria, encontram-se ameaçadas pelo incêndio que voltou a alastrar e três localidades estão a ser evacuadas, disse hoje a presidente da câmara.


Em declarações à agência Lusa, cerca das 21:00, Célia Marques contou que "a situação agravou-se consideravelmente" desde o final da tarde, quando o fogo parecia estar controlado, acrescentando que a "situação é caótica" e que, neste momento, "há casas em risco".

Os habitantes das localidades da Tapada, Casal Agostinho Alves e Relvas estão a ser retirados e encaminhados numa carrinha para a sede da Casa do Povo da freguesia, que fica numa zona mais urbana e segura.


A presidente da Câmara de Alvaiázere explicou que o incêndio agravou-se, também pelo facto de já não haver meios aéreos a operar, acrescentado que há também dificuldades ao nível das comunicações. (Lusa)


O Inferno continua. A indignação cresce perante esta situação de completa falência do modelo actual de prevenção e combate aos incêndios! Todo o sistema tem de ser questionado! Para que serve toda uma megaestrutura de Proteção Civil, com meios de comunicação caríssimos, se não conseguem, sequer, manter em segurança os cidadãos que transitam nas estradas? 


A Tragédia Em Pedrógão Grande

O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande neste sábado provocou até ao momento 61 mortos, todos civis, e 57 feridos, de acordo com o balanço oficial divulgado esta manhã pelo secretário de Estado da Administração Interna. Os números têm vindo a subir desde que Jorge Gomes fez a primeira comunicação sobre a tragédia perante a comunicação social.

Esta manhã, a Polícia Judiciária afastou qualquer cenário de mão criminosa na origem deste incêndio — terá sido a trovoada seca que causou as chamas. “A PJ, em perfeita articulação com a GNR, conseguiu determinar a origem do incêndio e tudo aponta muito claramente para que sejam causas naturais. Inclusivamente encontrámos a árvore que foi atingida por um raio”, informou o director nacional da PJ. Há mais de 150 desalojados.

Apesar dos meios presentes no terreno, nenhum responsável das entidades de segurança e protecção adiantou qualquer previsão sobre quando o incêndio poderá ser considerado extinto, com a situação em Figueiró dos Vinhos a ser qualificada como caótica pelas autoridades locais.
A União Europeia, solidária com Portugal, accionou o Mecanismo de Proteção Civil para ajudar Portugal.

Não e possível entender como é que o incêndio que começa às 14h e o IC8 só é fechado às 19h. o fogo alastrou durante 5 horas e ninguém encerrou a circulação?! 

Pois, mas, por agora é tempo de solidariedade com os familiares das vítimas e ajuda aos que precisam.

Cada coisa a seu tempo.

As Horas ...

As horas batem indiferentemente para todos e soam diferentemente para cada um. 

Condessa Diane

Incêndio Em Pedrógão Grande

EPA/PAULO CUNHA
O secretário de Estado da Administração Interna anunciou esta noite que 19 pessoas morreram no incêndio de Pedrógão Grande - dezasseis morreram dentro das próprias viaturas numa estrada nacional e outras três por inalação de fumo. Há também vinte e uma pessoas feridas O incêndio alastrou a Figueiró dos Vinhos.Várias localidades foram evacuadas.

sábado, 17 de junho de 2017

O Fim Da Linha. Nada É Responsabilidade De Costa.

António Costa acabará por ser reconhecido como o político que mais fez para tornar a política a coisa mais desinteressante de todas as coisas que se podem comentar. É o fim da linha. Há meses que ouço comentadores queixar-se da falta de temas para os programas semanais. Até Manuela Ferreira Leite, na TVI, se viu obrigada a comentar a novela Cristiano Ronaldo. Já ninguém sabe sobre o que escrever. Toda a gente quer férias prolongadas, porque não vislumbra tema minimamente interessante a que se dedicar no verão. A culpa? É de António Costa!

O homem consegue estar sempre do lado certo da história. Verdade ou mentira, o nosso primeiro-ministro tem sempre razão. A Agência Europeia de Medicamentos pode vir para Lisboa e não para Porto, Braga, Coimbra, Fornos de Algodres, Camacha, ilha do Pico e tantos outros sítios que aparecem nos sonhos de António Costa. A culpa não é dele, ele sonhou que podia ser noutro sítio, mas acordaram-no a tempo de impedir que não fosse em Lisboa.

Costa está sempre do lado certo da história. Quando despacha um banco com custos para os contribuintes, a culpa é do anterior governo que não despachou. Quando coloca o amigo na administração da TAP, está a fazer-nos um favor por nos emprestar a competência de um brilhante advogado. Quando não cumpre a promessa de acabar com a sobretaxa, a culpa é do calendário, que tem doze meses.

Isto está de tal maneira que até a popularidade de Marcelo Rebelo de Sousa passou a ser coisa sem interesse nenhum. O próprio Presidente, mais dia menos dia, vai aperceber-se de que o povo já não quer saber de nada, porque nada é responsabilidade de António Costa. Se a culpa não é de quem manda, de que serve estar a pedir para ser de maneira diferente? Não serve de nada!

É altura de hibernarmos e despertarmos apenas quando nos convencermos de que há sempre alternativa à alternativa. Não estamos todos condenados a estar do lado certo da história. Esse é o desígnio de António Costa.

Paulo Baldaia, DN

O Povo vai-se deixando embalar enquanto lhe cantam cantigas para adormecer.
Beijos, abraços e sorrisos vão sendo capazes de serenar ... um povo que já não quer saber de nada.


Esta É A Frase

Um eurodeputado do PS chamou “cigana” a uma deputada do PS que, embora eleita pelo Porto, votou por Lisboa na história da Agência Europeia do Medicamento (EMA). Num ápice, o partido em peso caiu sobre o homem, a quem, com típica tolerância, acusam de insultos intoleráveis. Não se percebe se o insulto passa por comparar a sra. deputada aos ciganos ou se por comparar os ciganos à sra. deputada. Percebe-se que a questão da EMA e o mito da “descentralização” morreram aqui. Como se pretendia, aliás.

Alberto Gonçalves, OBSR  

A Vida Não Passa De Uma Oportunidade ...

A vida não passa de uma oportunidade de encontro; só depois da morte se dá a junção; os corpos apenas têm o abraço, as almas têm o enlace.

Victor Hugo 

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Esta É A Frase

A primeira reação de António Costa às investigações do Ministério Público em curso na EDP e outras empresas de energia foi que estas têm “manhas” para contornar os quadros regulatórios e contratuais. Ninguém pode deixar de concordar com ele. Mas há aqui uma manha: é que se essas empresas contornam, de duas uma: ou os reguladores, isto é o Estado, não sabe, ou sabendo as deixa contornar. Por isso, eu também não tenho dúvidas de que há umas manhas do Estado para deixar que isso aconteça. E se isso acontece, das duas, uma: ou o Governo permite ou não permite. É o que me leva a dizer que há, por aqui, umas manhas do Governo e de António Costa.

Henrique Monteiro, Expresso  

É Cada Vez Mais Um Mundo Faz De Conta, Que Convém A Uma Democracia Teatralizada

Numa realidade que, mediatizando-se, deixou de ser imune às crenças sobre a própria realidade, a relação com a verdade deixa de ser imune à persuasão. O preço de um mundo mais humano, cada vez mais exclusivamente humano, é um mundo cada vez mais indiferente à diferença entre realidade e sua representação, entre verdade e persuasão.

É cada vez mais um mundo faz de conta, que convém a uma democracia teatralizada, espectáculo encenado que deixa a realidade com consequências nos bastidores invisíveis à decisão colectiva, algo a que em ciência política se passou a chamar pós-democracia. É só meia coincidência que os livros Post-Democracy, de Colin Crouch, e The Post-Truth Era, de Ralph Keyes, sejam ambos de 2004 e colem o mesmo prefixo “pós” à verdade e à democracia. Uma e outra não podiam estar mais destinadas ao mesmo fim, seja continuando seja dando lugar a outra coisa que não se adivinha boa.

Apesar da imersão social mediática generalizada, nem todo o real perdeu a imunidade à crença. Mas esse outro real fica longínquo daquele quotidiano em que intervimos, fiados nas nossas ilusões de autonomia. Seja o mundo natural, que se reserva derradeiramente contra o burburinho humano, seja também a decisão com verdadeiro impacto sobre as condições económicas das nossas vidas, cada vez mais uma decisão à margem do centro de legitimação democrática, seja ainda a tecnologia que, produzindo e reproduzindo-se, nos vai subtraindo do processo produtivo.

André Barata, JE

Dia Difícil ...

«Dia difícil... Mas, o Jardineiro da Vida está sempre atento, sempre me ensinando a lidar com os espinhos dos meus dias, com cautela sem me ferir...
Assim, eu penso...  Assim, eu caminho... Assim, eu tenho fé! Muita!»

quarta-feira, 14 de junho de 2017

As 5 Receitas De Felicidade Do Homem Mais Feliz Do Mundo

O monge budista Matthieu Ricard foi aclamado como a "pessoa mais feliz do mundo" por neurocientistas da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, que estudaram seu cérebro e o compararam com o cérebro de milhares de outros voluntários.
Eles descobriram que Ricard produz um nível de ondas cerebrais gama sem precedentes na literatura científica.
Essas ondas estão ligadas à capacidade de atenção, consciência, aprendizado e memória.
Além disso, Ricard manifesta um nível de actividade no seu córtex pré-frontal esquerdo bem acima do direito, o que reduz sua propensão à negatividade, explicaram os pesquisadores.
"Felicidade não é a busca infinita por uma série de experiências prazerosas. Isso é uma receita para a exaustão," diz o monge, nascido na França, mas hoje radicado no Monastério Shechen Tennyi Dargyeling, no Nepal.
Então qual é, na visão dele, o segredo para tanta felicidade? Aos 70 anos, Ricard dá cinco conselhos.

1. Defina o que é felicidade
"Felicidade é um jeito de ser. É um estado mental ótimo, excepcionalmente saudável, que dá a você os recursos para lidar com os altos e baixos da vida."

2. Seja paciente
"Não seja como uma criança que faz pirraça. 'Eu quero ser feliz agora', isso não funciona. A fruta amadurece com paciência e vira uma fruta e uma geleia deliciosas. Você não pode fazer isso com uma fruta verde. Leva tempo cultivar todas aquelas qualidades humanas fundamentais que geram bem-estar."

3. Saiba que você pode treinar sua mente
"O que você fizer vai mudar seu cérebro. Se você aprender malabarismo, a mergulhar ou a esquiar, seu cérebro vai mudar. Da mesma forma, se você treinar sua concentração, se você treinar para ter mais compaixão, se você treinar para ser mais altruísta, seu cérebro vai mudar, você será uma pessoa diferente. Todas essas habilidades podem ser aprendidas, assim como tocar piano ou jogar xadrez."

4. Pratique meditação - pouco e com frequência
"É como quando você rega as plantas no seu apartamento. Você precisa regar um pouco todos os dias. Se você derramar um balde uma vez por mês, a planta vai morrer. É melhor fazer sessões curtas de meditação com frequência do que uma muito longa de tempos em tempos, porque o processo de neuroplasticidade não será ativado ou mantido."

5. Não deixe o tédio desencorajá-lo
"Devemos perseverar, porque, às vezes, quando está chato é que uma mudança de verdade ocorre. A regularidade é uma das grandes dicas de meditação e treinamento mental para se tornar uma pessoa melhor, mais feliz e mais altruísta."

Fonte: Diário da saúde

Distinguir As Sombras Da Realidade


Passamos a ser perspetivados como país cumpridor das regras orçamentais no espaço europeu, a decisão não significa necessariamente um alívio (ou uma "folga" como já reivindicam alguns) para Portugal. Longe disso. Do PDE passamos do braço corretivo ao braço preventivo do PEC, ficando, do mesmo modo, obrigados a apresentar ajustamentos estruturais todos os anos e a baixar a dívida pública a um ritmo mais acelerado.


Sendo as imagens projetadas na caverna sombras da redução do défice orçamental, do crescimento de 2,8% registado no primeiro trimestre, do aumento das exportações e do turismo (fruto, sem dúvida, dos talentos de muitos, mas, sobretudo, de fatores conjunturais extremamente favoráveis), qual a realidade além das suas paredes? Portugal tem ainda de reduzir o seu défice estrutural de um valor em torno de -2% do PIB para um superavit de 0,25%, nos próximos 3-4 anos. Isso implica medidas de aumento de impostos e redução da despesa em torno dos 4 mil M€. Por outro lado, há que reduzir a dívida pública e não deixar a despesa corrente primária crescer acima do crescimento nominal da economia (3-4%/ano). E não olvidemos o endividamento (público e privado), o peso do setor financeiro e o desemprego que apresenta, ainda, valores penalizantes.

Assim, valerá a pena tentar distinguir as sombras da realidade e pensar nas reformas estruturais e estruturantes necessárias a um crescimento da economia estável e sustentável.

Elizabeth Real de Oliveira, JN  

O Impossível ...

terça-feira, 13 de junho de 2017

Notícias Soltas

*Schäuble: Se os britânicos recuarem no Brexit as portas estão "abertas"

*Portugal terá nova Capital Europeia da Cultura

*Mariana Enríquez. “Os contos de terror têm algo de advertência. São um espelho”  

O " Bloco De Interesses" Afinal Está De Boa Saúde ... E Operacional

António Barreto, escrevia no DN que a verdadeira "obra-prima" (sic) de António Costa foi ter conseguido desassociar-se de José Sócrates e do seu governo que "apoiado nalguma banca pública e privada, ajudado por um bando de empresários sem escrúpulos e assessorado por consultoras internacionais complacentes, atingiu níveis de endividamento único na história de Portugal, assim como de corrupção, de desperdício de recursos, de destruição de empresas públicas, de favoritismo em concursos e nomeações..."

Pois é este capital político que António Costa coloca em perigo com a nomeação de figuras do antigo "arco da governação" para liderar instituições como a Caixa Geral de Depósitos ou a TAP, dando o sinal de que o "bloco de interesses", que sempre originou a corrupção no país, está, afinal, de boa saúde e operacional.(continuar a ler)

Classificação Final Das Marchas Populares De Lisboa 2017

Manuel Almeida/ Lusa
PARABÉNS ALFAMA!

ALFAMA           1º           247        
BAIRRO ALTO   2º           237        
MADRAGOA      3º           236        
ALCÂNTARA      4º           232        
BICA                5º           229        
CARNIDE          6º           223        
GRAÇA             7º           219        
CASTELO          8º           209        
SÃO VICENTE    9º           208        
PENHA DE FRANÇA        10º         205        
MOURARIA        10º        205        
AJUDA              12º         202        
OLIVAIS            13º         200        
BELA FLOR – CAMPOLIDE            14º         195        
MARVILA             15º         191        
CAMPO DE OURIQUE    16º         181        
BELÉM                  17º         180        
ALTO DO PINA       17º         180        
BENFICA               19º         170        
SANTA ENGRÁCIA  20º         163

Saber mais aqui.

Noite De Santo António

Na noite de Santo António
Há sempre grande folia
E os pares de namorados
Vão dançar até ser dia

É assim até ao romper do sol
Com marchas e foguetes no ar
Manjericos em todas as janelas
Sardinhas quentes para provar

Caldo verde e bom vinho
Na Lisboa de encantar
Não faltará muita alegria
Até a noite clarear

BM

segunda-feira, 12 de junho de 2017

A CGTP Está No Terreno Para Libertar O PCP Do PS

A CGTP está no terreno para libertar o PCP do PS. Os olhos dos comentadores estão sobre o PSD, mas a longevidade do governo, sobretudo no pós-eleições autárquicas, será ditada por este braço-de-ferro
“A luta dos trabalhadores vai intensificar-se”. O governo “tem necessariamente de dar uma resposta muito mais dinâmica nos próximos tempos”. Os dois avisos citados vêm da boca do líder da CGTP, o braço sindical do PCP. Num momento em que, no governo, se prepara o Orçamento de Estado para 2018, é óbvia a tentativa de condicionar as opções políticas. Menos óbvio, mas muito mais importante de entender, é o significado destas movimentações: o PCP chamou os sindicatos porque percebeu que, nesta fase, amarrado à geringonça e sem condições políticas para “roer a corda”, se esgotou a sua força negocial junto do governo. (continuar a ler)

Aqui Está-se Sossegado ...

Aqui está-se sossegado,
Longe do mundo e da vida,
Cheio de não ter passado,
Até o futuro se olvida.
Aqui está-se sossegado.


Tinha os gestos inocentes,
Seus olhos riam no fundo.
Mas invisíveis serpentes
Faziam-a ser do mundo.
Tinha os gestos inocentes.


Aqui tudo é paz e mar.
Que longe a vista se perde
Na solidão a tornar
Em sombra, o azul que é verde!


Sim,poderia ter sido.
Mas vontade nem razão
O mundo têm conduzido
A prazer ou conclusão.
Sim, poderia ter sido...


Agora não esqueço e sonho.
Fecho os olhos, oiço o mar
E de ouvi-lo bem, suponho
Que vejo azul a esverdear.
Agora não esqueço e sonho.


Não foi propósito, não.
Os seus gestos inocentes
Tocavam no coração
Como invisíveis serpentes.
Não foi propósito, não.

Fernando Pessoa (Poesias Inéditas (1930-1935)



domingo, 11 de junho de 2017

O République En Marche de Macron Deverá Ter Entre 29% E 31%% Dos Votos Na 1ª Volta Das Legislativas Em França


O République en Marche, partido do presidente Emmanuel Macron, deverá ter entre 29% e 31% dos votos na primeira volta das legislativas em França.

O partido do presidente Macron, que concorre em coligação com o Movimento Democrata (MoDem), deverá ter entre 20% e 31% dos votos, seguindo-se 

Os Republicanos (direita), com 18% a 20% 

A Frente Nacional (extrema-direita) com 17% 

A França Insubmissa (esquerda) com 12%  

Os socialistas com apenas 7%, segundo as primeiras sondagens à boca das urnas.

A confirmarem-se estes números, o République en Marche terá a maioria absoluta na nova Assembleia, podendo eleger mais de 400 deputados. Os Republicanos mais de 80

Outra Projeção:

projections Ipsos-Sopra Steria pour France Télévisions et Radio France.



Resultados Finais:

República em Marcha -32,32% dos votos 

Republicanos (direita), com 21,56% dos votos. 
Os ecologistas recolheram 4,30% dos votos.
Frente Nacional (extrema-direita), com 13,20% 

França Insubmissa (esquerda), com 13,74% 

Partido Socialista, com 9,51%.

Notícias Soltas


A Verdadeira Obra De Arte Do Primeiro Ministro

Foi ter conseguido desvincular-se, ele e os seus ministros, do governo de Sócrates. Foi ter desligado este Partido Socialista salvador daquele outro Partido Socialista cangalheiro. Foi ter conseguido refazer a sua virgindade, suavemente, sem ruptura aparente, sem obrigar ninguém a desdizer-se ou a pedir desculpa, sem criar incómodos a ministros e sem dar argumentos a quem disser que o Partido tem duas caras. Foi ainda ter conseguido associar o Bloco e o PCP a este branqueamento inédito.

Os seis anos do mandato de José Sócrates constituíram uma espécie de peste negra que se abateu sobre o país. Aquele governo, apoiado nalguma banca pública e privada, ajudado por um bando de empresários sem escrúpulos e assessorado por consultoras internacionais complacentes, atingiu níveis de endividamento único na história de Portugal, assim como de corrupção, de desperdício de recursos, de destruição de empresas públicas, de favoritismo em concursos e nomeações... Foi provavelmente o mais nefasto governo de Portugal durante décadas. Sem criticar os seus feitos, sem partilhar os erros de Sócrates, sem assumir responsabilidades relativamente aos piores anos de governo de Portugal, António Costa e seus ministros conseguiram, sem nunca o ter feito explicitamente, distanciar-se daquele nefando governo e daquele execrável período. Esse, sim, é um feito histórico.

(excerto do artigo de António Barreto hoje no DN

O Estilo

"O estilo é apenas a ordem e o movimento que pomos nos nossos pensamentos." 

(George Buffon)



sábado, 10 de junho de 2017

Esta É A Frase

Portugal anda há 25 anos a comer capital. Tendo adquirido hábitos europeus sem a produtividade europeia, sofre um desfasamento financeiro crescente. Durante 15 anos as dívidas pública e privada explodiram até que, com o fecho dos mercados na crise de 2008, o endividamento parou. Então passámos a vender as «pratas da casa» para manter a ilusão. Com privatizações no Estado e fusões no privado, o estrangeiro já é dono das principais empresas, bancos e imobiliário nacionais.

João César das Neves, DN

A Primeira Referência Legal Que Declara 'Dia De Festa Nacional E De Grande Gala' O 10 de Junho ...


O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas é assinalado, como tal, desde 1977, depois de, durante a ditadura, com António de Oliveira Salazar, ter sido o Dia da Raça.

A primeira referência legal que declara 'Dia de Festa Nacional e de Grande Gala' o 10 de Junho data de 27 de Abril de 1880. É um decreto das Cortes Reais em que o rei D. Luís I acedeu a que se assinalassem os 300 anos da data apontada pelos historiadores para a morte de Luís de Camões, 10 de junho de 1580.
Após a queda da Monarquia e a implantação da República, em 1919, na primeira lista de feriados nacionais elaborada pelo Governo, não aparece ainda o 10 de Junho, mas o decreto 17.171, de 29 de Agosto de 1919, consagrava-o como feriado.

Depois do golpe do 28 de Maio de 1926, as celebrações passam a ter especial ênfase como Dia da Raça. Expressão usada em 2008 por Cavaco Silva e que gerou muita polémica, com o Bloco de Esquerda a criticar o Presidente da República por este usar a "pior imagética" do Estado Novo.
Ao comentar uma paralisação de camionistas, Cavaco disse: "Hoje eu tenho que sublinhar, acima de tudo, a raça, o dia da raça, o dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas."

Apesar de já ser assinalado pelos portugueses, o Dia de Portugal surge fixado como 10 de Junho num decreto-lei de 4 de Janeiro de 1952.
A revolução nascida do 25 de Abril de 1974 risca a comemoração do Dia da Raça e o Dia de Camões passa a ganhar relevância - afinal, durante o Estado Novo, os meios oposicionistas utilizaram Camões como "bandeira" e símbolo.
No entanto, só em 1977, por decreto de 4 de Março, foi consagrado o novo significado ao 10 de Junho como 
Fonte: Notícias ao Minuto