terça-feira, 16 de outubro de 2018

Hoje De Manhã Saí Muito Cedo


Hoje de manhã saí muito cedo, 
Por ter acordado ainda mais cedo 
E não ter nada que quisesse fazer... 

Não sabia por caminho tomar 

Mas o vento soprava forte, varria para um lado, 
E segui o caminho para onde o vento me soprava nas costas. 

Assim tem sido sempre a minha vida, e 
assim quero que possa ser sempre — 
Vou onde o vento me leva e não me 
Sinto pensar. 


Alberto Caeiro

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Notícias Ao Fim Da Tarde

*Orçamento do Estado 2019: direita desconfia, esquerda não se compromete, mas reclama trunfos das negociações




*Brexit: Cenário de ausência de acordo "mais provável do que nunca"




Até Onde Irá A Falta De Senso?

Partidos como o PAN e, também, o Bloco, vão inventando variações cada vez mais disparatadas sobre as microcausas que os fizeram nascer e ganhar votos. Esse é o problema: até onde irá a falta de senso?

Uma das últimas propostas do PAN, na Assembleia Municipal de Lisboa, foi no sentido de propor que a Câmara Municipal de Lisboa, proibisse os fogos-de-artifício com ruído. Queriam que se usasse, apenas, fogo silencioso (!). A razão de tal proposta, advém do facto de que, segundo o PAN, os cães ficam nervosos com o barulho do fogo-de-artifício.

É estúpido, não é? Claro que é. Felizmente a proposta foi chumbada. Mas não por ser estúpida. Foi chumbada porque o PS não precisa do PAN.
Na Assembleia da República, o mesmo PAN, apresentou uma proposta que pretendia que os equídeos fossem considerados animais de estimação.
A questão é que este tipo de partidos, onde se deve incluir o Bloco, ( é mais “fino”. Apanhou o momento histórico dos direitos das minorias – particularmente os ligados às questões de género) vive destas iniciativas. Começaram com algumas reivindicações que até faziam sentido mas, à medida que o tempo passa, vão inventando variações sobre o tema que os fez nascer e ganhar votos. E esse é o problema. Até onde chegará a falta de senso?
(Excertos do artigo de Pedro Barros Ferreira, OBSR)

Futuro

É impossível pensar o futuro se não nos lembrarmos do passado. Da mesma forma, é impossível saltar para a frente se não se der alguns passos para trás. Um dos problemas da atual civilização - da civilização da internet - é a perda do passado.

Umberto Eco 

domingo, 14 de outubro de 2018

Notícias Ao Fim Da Tarde

*Escusa de Siza na energia faz sair Secretaria de Estado da Economia





Foram Vários Os "Progressos" Registados Em Portugal Pela Comissão Europeia Contra O Racismo E A Intolerância (ECRI), Há Ainda Várias "Questões Preocupantes", Lê-se No Relatório Publicado Pelo Conselho Da Europa.


Um relatório produzido por uma das muitas instâncias europeias cuja assertividade é inversamente proporcional ao conhecimento que se tem dela vem fazer uma recomendação de imediato tida como um dogma. A instituição em causa é a ECRI – Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância, um órgão de monitorização do Conselho da Europa. Na verdade não se trata de uma recomendação mas de inúmeras recomendações. Mas vamos em primeiro lugar à recomendação sobre os manuais de História que, segundo a ECRI, deverão mudar a “narrativa da História” que continua a ser transmitida aos alunos.”
À partida instala-se de imediato um desconcerto ao ler estas notícias pois folheando os manuais em causa constata-se que eles tratam de facto desses contributos e das consequências da escravatura. E tratam de uma forma equilibrada. Foi esta evidência que levou o professor Paulo Guinote (autor dos blogues Educação do Meu Umbigo e O Meu Quintal)a afirmar sobre os membros da ECRI: “Parece-me que não devem ter visto os manuais em causa.”
A hipótese de Paulo Guinote pode parecer inicialmente disparatada: é lá possível que uma instituição cujos membros dizem possuir uma “elevada autoridade moral e reconhecida competência para tratar dos problemas do racismo, discriminação, xenofobia, anti-semitismo e intolerância” produzisse um relatório sem ter efectuado uma pesquisa vasta e profunda sobre os manuais escolares em vigor em Portugal? Mas admitindo que não tenham visto todos os manuais talvez tenha sido mal seleccionada a amostra que lhes forneceram…
Com estas ou outras perguntas na agenda a jornalista da Sábado, Maria Henrique Espada, contactou a ECRI. Queria saber que manuais tinham sido consultados por aquela comissão. A resposta foi: nenhum.
Custa a acreditar mas é mesmo assim: a fazer fé na revista Sábado a ECRI não consultou manual algum. O relatório e as recomendações da ECRI resultaram das informações recolhidas pelos membros daquela comissão nas reuniões que mantiveram com ONG durante uma visita a Portugal. Nova pergunta da Sábado: quem integrava a delegação da ECRI nesta visita a Portugal e com quais ONG se reuniram? Resposta da ECRI “regras de confidencialidade” impedem que se identifiquem as ONG contactadas e quem integrava a delegação.
Portanto uma delegação constituída não se sabe por quem veio a Portugal reunir com quem não podemos saber e o resultado foi um relatório que entre outras coisas concluiu que os manuais de História têm de ser corrigidos. Também com base em tais extraordinárias fontes conclui a delegação da ECRI que a PSP está infiltrada pela extrema-direita e que o ex-líder do PSD, Passos Coelho, teve uma atitude racista quando a propósito das alterações à lei da emigração declarou que não queria “qualquer um a viver em Portugal.
No meio de tudo isto é mais que tempo de se exigirem esclarecimentos à ECRI nomeadamente à representante portuguesa independente na ECRI, Inês Ferreira Leite.  Esta advogada e professora terá sido nomeada para o cargo já o relatório estava aprovado mas isso não impede que seja chamada a explicar o como e o porquê deste alegado relatório. Um documento que fala sem conhecimento de causa e cujas propostas de criminalização e controlo do nosso quotidiano levarão a uma ditadura do pensamento único.
(Excertos do artigo de Helena Matos no OBSR)

Nunca Saberemos O Quão Forte Somos Até ...

«Nunca saberemos o quão forte somos até que ser forte seja a única escolha.»



sábado, 13 de outubro de 2018

Notícias Ao Fim Da Tarde (act.)

*IVA sobre os espetáculos culturais vai descer de 13% para 6%



Furacão Leslie Está A Poucas Horas De Chegar Ao Continente. Alerta Em 13 Distritos Passou A Vermelho.

Furacão (o mais poderoso a atingir Portugal desde 1842) está a poucas horas de chegar ao continente. Alerta em 13 distritos passou a vermelho. Proteção Civil lança alertas para a população.

A Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) está numa fase de preparação do dispositivo de todo o país, informou o comandante Luís Belo Costa, num briefing às 13h00. O vento, a agitação marítima e a precipitação são os fenómenos que mais preocupam a ANPC que aconselha a população a “evitar ao máximo andar na rua” — sobretudo no período entre as 23h00 e as 4h00 da manhã –, especialmente em zonas costeiras e arborizadas. Os ventos podem chegar aos 180/190 km/h, o que, a confirmar-se, será um máximo histórico em Portugal, segundo o IPMA.

O furacão Leslie vai atingir o território continental já como depressão pós-tropical, mas com ventos com “intensidades equivalentes a uma tempestade tropical”, com rajadas acima dos 130 Km/hora, mas que podem atingir máximos históricos de 180 a 190 km/hora — há uma probabilidade de 10% que tal aconteça. O Leslie deverá começar fazer-se sentir com mais intensidade na região da grande Lisboa a partir das 18h00 deste sábado, de acordo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Os ventos mais intensos vão sentir-se na região centro e terão o seu pico entre as 21h00 e as 22h00, com rajadas na ordem dos 130 quilómetros. Deverá ser pelo litoral centro, entre Sines e Figueira da Foz, que o furacão irá entrar no continente.
Há uma possibilidade de 40% de que as rajadas sejam superiores a 145 km/hora e uma possibilidade de 10% de que a rajada possa ser superior os 180/190 km/hora nesta região centro, o que configuraria um máximo histórico”, disse à Lusa o meteorologista do IPMA, Nuno Moreira.
Treze dos 18 distritos do continente vão estar sob aviso vermelho devido à previsão de vento forte, indicou o IPMA. Os distritos de Coimbra, Leiria, Santarém, Lisboa, Setúbal Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Porto, Aveiro, Viseu, Guarda e Castelo Branco, que estavam em alerta laranja, passam para o vermelho — o mais intenso da escala.
Nuno Moreira indicou, ainda, que vigora um aviso vermelho a partir do final da noite deste sábado e até à madrugada de domingo por previsão de forte agitação marítima e possibilidade de galgamentos costeiros, com uma altura significativa das ondas superior a sete metros, “com picos que podem chegar aos 14 metros”. Em relação à previsão de precipitação, Nuno Moreira disse que há ainda “alguma incerteza”, estando emitido um aviso amarelo para todo o continente, que nos distritos de Leiria, Coimbra e Aveiro atingirá mesmo o nível laranja, mas antevê, com base nos dados disponíveis até ao final da manhã, que este “não será o parâmetro mais crítico” da passagem do Leslie por Portugal.
Fonte: ANPC, via OBSR

O Legislador É, Realmente, Um Dos Grandes Benzedores Do Nosso Tempo

Há um problema, um escândalo, uma sentença ou um acórdão de que se não gosta ou que dá polémica? 

Há um crime que impressiona, um caso que indigna, uma vaga de insegurança, um sentimento de intranquilidade? 

Ou há qualquer outra coisa que altera o remanso dos dias (o que acontece quase todos os dias, aliás, ao ponto de o remanso ser já quase um vestígio arqueológico)? 

Então, faz-se uma lei, muda-se uma lei, aperfeiçoa-se uma lei. Ou dá-se-lhe uns toques, mais dureza, mais 12 vírgulas ali e meia dúzia de pontos de exclamação aqui, dois pontos finais a menos ou a mais, muda-se aqui, tira-se acolá. Ou substitui-se mesmo a dita, que a culpa é sempre da lei - ou porque falta, ou porque abunda, ou porque está manca e precisa de correção ortopédica. O que há a fazer é, sempre, mexer na lei, alterar a lei, fazer lei, matar lei. E rapidamente e em força, e fazer alarido disso, porque os tempos vivem da rapidez e da propaganda. 

Há um problema, não gostaram disto ou daquilo, há quem rasgue as vestes e exclame, grite ou murmure? 
Não se preocupe o bom povo que já há lei no forno, está a sair. E pronto, dormi descansados, que o legislador vela por todos, ámen. 

E depois admirem-se da manta de retalhos, da confusão legislativa, da precipitação, dos buracos, das soluções tortas. E não estou a agourar, não é mau-olhado, muito menos quebranto. São só vários anos de experiência e de observação. E não preciso de nenhuma benzedura. E ainda menos de tanta alteração na lei. Cruzes. Sossega, meu pajé!

(Excertos do artigo de Rui Patrício, Ji)

Ao Cair Da Noite ...

Passou ontem uma brisa leve pelo jardim. Trouxe perfumes de outros jardins [...]

Ah o crepúsculo, o cair da noite, o acender das luzes nas grandes cidades
E a mão de mistério que abafa o bulício,
E o cansaço de tudo em nós que nos corrompe
Para uma sensação exacta e precisa e activa da Vida!
Cada rua é um canal de uma Veneza de tédios.

(Álvaro de Campos) 

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Notícias Ao Fim Da Tarde (Última Hora)

*Maria Flor Pedroso é a nova diretora de informação da RTP




Esta É A Frase

«Escolher um deputado do PS sem currículo para a ERSE é uma tentativa de colonizar o Estado. Escolher mais seis pessoas da secretaria da Energia para cargos de relevo no Estado é uma bandalheira.»

Pedro Sousa Carvalho, ECO

*A propósito da nomeação de Carlos Pereira para o cargo de administrador da Entidade Reguladora do Setor Energético (ERSE), Rui Rio foi curto e grosso: a nomeação foi um ‘job for the boy‘ e Carlos Pereira “não tem currículo”. Já não chega um banho de ética na política, é preciso uma desinfestação. Foi há mais de 20 anos que António Guterres declarou que “com o PS no poder não há ‘jobs for the boys‘ e há 20 anos que PS, PSD e CDS distribuem aquilo em que em linguagem política, importada da culinária, se convencionou chamar de tachos.

Por Entre Os Sons Da Música


Por entre os sons da música, ao ouvido 
como a uma porta que ficou entreaberta 
o que se me revela em ter sentido 
é o que por essa música encoberta 

acena em vão do outro lado dela 
e eu sinto como a voz que respondesse 
ao que em mim não chamou nem está nela, 
porque é só o desejar que aí batesse. 

Vergílio Ferreira 

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Notícias Ao Fim Da Tarde (act.)

*Tancos. Advogado acusa general de “crimes contra o Estado”





Das Mediocridades, Só Falta Decidirmos Em Grupo Entrar Na Boa Noite De Uma Mansa Loucura

Nunca o divórcio entre o mundo das ideias e o mundo real parece ter sido tão grande. A excepção, é claro, encontra-se na extrema-esquerda parlamentar, mas essa, coitada, não ousa, por razões compreensíveis, dizer o seu nome, contribuindo assim para a indistinção geral. O resto vive numa espécie de caldo turvo em que as diferenças apenas se manifestam pela prática de certos rituais específicos, sobrevivências destinadas a perpetuar a memória confusa de totens tribais em cuja eficácia ninguém já verdadeiramente acredita ou sequer efectivamente compreende.

Algum debate ideológico parece, portanto, desejável, fora dos círculos restritos da gente que por prazer ou dever profissional a ele se dedica. Mas como esperar uma coisa dessas das mediocridades que ocupam os lugares cimeiros da nossa cena política? Dos “afectos” de Marcelo? Da “habilidade” de Costa? Da “seriedade” de Rio? Mais vale esperar pela atribuição de todos os prémios Nobel, no mesmo ano, a ditosos filhos da pátria lusitana. Tudo acompanhado, é claro, por feitos incomensuráveis da nossa selecção e de todos os “grandes” do futebol nacional. Por outras palavras: decidirmos em grupo entrar gentilmente na boa noite de uma mansa loucura.

Solução? Esperar que esta gente se vá embora e que apareçam (ou avancem) nos partidos indivíduos dotados de uma convicção ou outra e que discutam entre si, com alguma racionalidade, caminhos diversos para a nossa sociedade.

(Excertos do artigo de Paulo Tunha, OBSR)

Pensamentos ...


Pensar sem aprender torna-nos caprichosos, e aprender sem pensar é um desastre.

Confúcio